Vendas de cimento mantêm recuperação

11/09/2019
Facebooktwitterpinterestlinkedinmail

Vendas acumuladas em 2019 (janeiro a agosto) têm aumento de 2,9% sobre igual período do ano passado

As vendas acumuladas de cimento em 2019 (janeiro a agosto) chegaram ao montante de 35,9 milhões de toneladas, um aumento de 2,9% sobre igual período do ano passado, de acordo com o Sindicato Nacional da Indústria de Cimento (SNIC). No mês de agosto, as vendas de cimento no Brasil somaram 5,1 milhões de toneladas, crescimento de 3,0% em relação ao mesmo mês de 2018.

As vendas internas por dia útil em agosto – que considera o número de dias trabalhados e tem forte influência no consumo de cimento – apresentaram alta de 4,1% em relação a julho, de 5,1% sobre agosto de 2018 e de 2,9% no acumulado do ano. Já nos últimos 12 meses (setembro de 2018 a agosto de 2019), as vendas acumuladas atingiram 53,6 milhões de toneladas de cimento, aumento de 1,8% em comparação com o mesmo período anterior (setembro de 2017 a agosto de 2018).

“Os indicadores estão se recuperando. O PIB da construção civil começou a reagir no segundo trimestre, assim como as vendas de materiais da construção civil, como vergalhões, pedras britadas entre outros”, afirma Paulo Camillo Penna, presidente do SNIC e da ABCP. Ainda segundo o executivo, os indicadores de confiança também voltaram a subir. “A sondagem da construção civil feita pela FGV e o índice de confiança do empresário industrial elaborado pela CNI subiram pelo terceiro mês consecutivo. O indicador da FGV está no maior ponto desde fevereiro de 2015. O ambiente de negócios está mais favorável, mostrando uma maior consistência do movimento de retomada”, completa o executivo.

Consumo aparente e importação

O consumo aparente de cimento em agosto, que compreende as vendas internas mais as importações, totalizaram 5,1 milhões de toneladas, uma alta de 2,9% em relação ao mesmo mês do ano anterior. O acumulado do ano cresceu 2,8%. Ao comparar os últimos 12 meses (setembro de 2018 a agosto de 2019), a alta no consumo atingiu 1,6% em relação ao mesmo período anterior (setembro de 2017 a agosto de 2018).

“O setor imobiliário continua sendo o indutor da demanda de cimento. O número de lançamentos acumulado até junho foi 15% maior do que o mesmo período do ano anterior, enquanto que as vendas aumentaram 12% no mesmo período. O ambiente externo aparece como a maior incógnita do cenário, neste momento, impactado pelo conflito comercial entre EUA e China, que pode ter efeitos sobre o nível de atividade”, finaliza o executivo.